10 de setembro de 2017

Ratatouille

Há muito que andava para fazer esta receita. Comi este prato pela primeira vez em França, já há alguns anos, em casa da minha querida tia Emília e lembro-me que adorei. Desde então já lhe perguntei como ela fazia este prato umas poucas de vezes mas nunca aponto e acabo por me esquecer. Normalmente, nesta receita, os legumes são "estufados" mas eu sempre soube que preferia fazer no forno. Acabei por andar a pesquisar algumas receitas e fiz as modificações que eu entendi. O resultado não podia ter sido melhor. Só tenho pena de não ter feito mais quantidade pois desapareceu tudo num instante! O prato serviu para acompanhar umas perninhas de frango assadas, para mim e para o meu marido, e já está na ementa da próxima semana, mas das próximas vezes tenho que dobrar ou triplicar a receita.

Achei o molho de tomate caseiro muito importante para o sucesso final da receita, por isso é algo que eu acho que não pode ser dispensado. O molho de tomate pode ser feito em mais quantidade e se sobrar pode-se congelar. Este molho serve para as pizzas, por exemplo, e serviu para misturar com a massa que o meu filho comeu. De cada vez que ele entrava na cozinha dizia: "Cheira aqui tão bem!".

Não costumo comer beringela e estava um pouco receosa, mas o resultado final, sem dúvida, não podia ter sido melhor. Podem usar os legumes que gostarem mais. Eu fiz questão de colocar cebola (às meias luas) entre as camadas porque nós gostamos muito. A quantidade necessária de legumes pode variar de acordo com o tamanho deles, assim como o tamanho do tabuleiro usado. As ervas aromáticas também fazem a diferença, neste caso usei três, infelizmente não tinha frescas, mas, como disse, ficou maravilhoso assim e não quero mudar nada das próximas vezes. Ainda bem que fui apontando o que ia fazendo e estou já a passar a receita para o Blog para não me acontecer como tantas outras vezes em que eu "inventei" refeições deliciosas e depois esqueci-me de como as fiz. Esta vai ser daquelas receitas para sempre. Uma ótima maneira de comermos legumes variados e um excelente acompanhamento para as refeições de carne ou peixe! As fotos não fazem jus ao prato porque a preguiça fez com que tirasse as fotos com o telemóvel.




Ingredientes para o molho:
1 cebola média
2 dentes de alho
Azeite
4 tomates maduros (usei cacho)
80ml de água
sal, orégãos, manjericão e tomilho q.b.

Ingredientes para o "recheio":
1 beringela pequena fatiada (polvilhei com sal e deixei a escorrer 30m antes, li algures que se devia fazer para a beringela não amargar)
1 pimento vermelho fatiado
meia curgete fatiada (arranjei uma inteira mas sobrou cerca de metade)
1 cebola fatiada e cortada em meias luas
3 tomates cacho fatiados
sal, orégãos, manjericão e tomilho q.b.


Preparação bimby:
Coloque, para o molho, no copo da bimby a cebola, os dentes de alho e o azeite, pique 15s/5. Leve a refogar 5m/100º/1. Acrescente o tomate aos cubos, a água e os temperos. Deixe na temperatura Varoma até reduzir a água para cerca de metade, ou até estar com uma consistência mais espessa, pode ir até aos 25m, ou mais, dependendo da água do tomate. Retificar os temperos e triturar o tempo que achar necessário na velocidade 6.
Colocar molho numa travessa, pirex ou qualquer recipiente de ir ao forno, só até cobrir o fundo. O que sobrar (se sobrar) congele.
Dispor as rodelas de legumes intercaladas sacudindo o sal em excesso da beringela. Eu prefiro fazer uma só camada mas pode fazer mais. Tempere com um fio de azeite, sal e as ervas aromáticas.
Leve a assar em forno aquecido a 180º, durante cerca de 30 minutos. Eu deixei mais 10 minutos para secar a água dos legumes. Servir e deliciar-se!

Preparação tradicional:

Coloque, para o molho, num tacho ao lume a cebola picada, os dentes de alho picados, o azeite e leve a refogar até a cebola estar mole. Acrescente o tomate aos cubos, a água e os temperos. Deixe na temperatura cozinhar até reduzir a água para cerca de metade, ou até estar com uma consistência mais espessa. Retificar os temperos e triturar com a varinha mágica o tempo que achar necessário.
Colocar molho numa travessa, pirex ou qualquer recipiente de ir ao forno, só até cobrir o fundo. O que sobrar (se sobrar) congele.
Dispor as rodelas de legumes intercaladas sacudindo o sal em excesso da beringela. Eu prefiro fazer uma só camada mas pode fazer mais. Tempere com um fio de azeite, sal e as ervas aromáticas.
Leve a assar em forno aquecido a 180º, durante cerca de 30 minutos. Eu deixei mais 10 minutos para secar completamente a água dos legumes. Servir e deliciar-se!




8 de setembro de 2017

Gratinado de carne picada com alho francês e cogumelos

Ainda na busca de receitas fáceis de preparar, experimentei esta da revista Bimby de janeiro 15. No original a receita chama-se Gratinado de carne picada com alho francês e fiambre, eu fiz algumas alterações. O pessoal cá de casa gostou e disse que podia repetir.



Ingredientes:
200g de queijo flamengo
300g de natas
220g de cebola
100g de azeite
800g de carne de bovino picada
1 c. sopa de mostarda
2 c. chá de orégãos
sal e pimenta q.b.
300g de alho francês cortado aos pedaços
300g de cogumelos frescos cortados em quartos

Preparação bimby:
Coloque no copo o queijo e rale 5s/9. Retire para uma taça, adicione 200g de natas e envolva. Reserve. Coloque a cebola e 50g de azeite azeite no copo e pique 5s/5, de seguida refogue 5m/Varoma/1. Adicione a carne, a mostarda, os orégãos, o sal e a pimenta  e salteie  9m/100º/1. Adicione 100g de natas e cozinhe 3m/100º/1. Deite num pirex e reserve. Pré-aqueça o forno a 200º. Coloque no copo o alho francês e pique 5s/6. Adicione 50g de azeite e os cogumelos e cozinhe 10m/Varoma/CI. Envolva no preparado de carne picada, cubra com a mistura de queijo e natas reservada e leve a forno a 200º cerca de 20 minutos  ou até gratinar. Sirva com batata frita ou outro acompanhamento a gosto. 

Preparação tradicional:
Rale ou pique o queijo, retire para uma taça, adicione 200g de natas e envolva. Reserve. Pique a cebola e leve ao lume com 50g de azeite, deixe refogar cerca de 5m. Adicione a carne, a mostarda, os orégãos, o sal e a pimenta  e salteie  9m. Adicione 100g de natas e cozinhe mais 3m. Deite num pirex e reserve. Pré-aqueça o forno a 200º. Pique o alho francês ou em alternativa corte-o em rodela muito finas. Leve ao lume o alho francês co o restante azeite e os cogumelos cortados em quartos durante cerca de 10m. Envolva no preparado de carne picada, cubra com a mistura de queijo e natas reservada e leve a forno a 200º cerca de 20 minutos  ou até gratinar. Sirva com batata frita ou outro acompanhamento a gosto.

19 de dezembro de 2016

Bolo de Mirtilos

Este bolo passou a ser obrigatório no Natal. É absolutamente maravilhoso ou não fosse mais uma receita fantástica da Clara de Sousa. A única coisa que não faço é a cobertura de glacê. Fica perfeito com açúcar em pó, ou mesmo sem nada! Aconselho vivamente a experimentarem! Boas festas!





Ingredientes:
MASSA:

350g farinha T55 c/ fermento (farinha para bolos) + 1 colher de chá para juntar aos mirtilos
1 colher de chá de fermento em pó
Meia colher de chá de sal fino
220g de manteiga sem sal, à temperatura ambiente
200g de açúcar
180g de açúcar amarelo
4 ovos L
1 colher de chá de extracto de baunilha
2 iogurtes naturais (125gx2) - eu uso gregos
250g de mirtilos frescos (não usar frutos congelados)
Raspa de 1 limão
Manteiga ou spray para untar a forma

GLACÊ PARA COBERTURA*:
200g açúcar em pó
40ml sumo de limão
*em alternativa, pode polvilhar apenas com açúcar em pó q.b.

Preparação:
Numa taça, misture a farinha, o fermento em pó e o sal. Mexa e reserve. Noutra taça junte a manteiga e os açúcares e bata a alta velocidade até ficar um creme homogéneo. Se necessário, use uma espátula para soltar o creme que se agarra às paredes da taça. Junte os ovos, um a um, batendo bem entre cada nova adição. Junte o extracto de baunilha. Reduza a velocidade e junte a farinha em três vezes, intercalada com os iogurtes (1/3 da farinha - 1 iogurte - 1/3 da farinha - 1 iogurte - 1/3 da farinha), batendo até ficar incorporado, antes de uma nova adição.

Numa taça pequena, coloque os mirtilos, a raspa do limão e a colher de chá de farinha e misture bem para que a farinha se agarre aos frutos (isto evitará que eles “caiam” para o fundo da forma), e envolva-os delicadamente na massa do bolo. Unte muito bem uma forma média com buraco. Verta-lhe a massa e dê-lhe umas pancadas sobre a bancada, para a massa encaixar bem em todos os recantos (isto é particularmente importante na forma BUNDT, que usei, já que é ondulada). Leve a forno pré-aquecido a 180º C durante 60 a 70 minutos, ou até que, fazendo o teste do palito, este saia seco. Quando estiver cozido, retire do forno e coloque a forma sobre uma grade de arrefecimento.
Deixe que o bolo arrefeça. Quando tiver apenas um calor residual, desenforme-o sobre a grelha de arrefecimento e deixe-o arrefecer totalmente antes de decorar. Se tentar desenformar o bolo ainda quente ele vai desmanchar-se!

FAÇA O GLACÊ: Esprema o sumo do limão e passe-o por um coador. Misture o açúcar em pó com o sumo de limão e bata muito bem com vara de arames para ficar homogéneo. Verta-o sobre o bolo totalmente frio (colocado sobre a grade com um tabuleiro por baixo) e deixe o excedente do glacê escorrer para o tabuleiro. Em alternativa, pode apenas polvilhar o bolo com um pouco de açúcar em pó.

18 de outubro de 2015

Bacalhau com natas

Confesso que nestes quase 5 anos que tenho a bimby nunca me tentei a fazer a receita do livro base de bacalhau com natas, isso porque, para mim, bacalhau com natas não se faz com batata palha. Ora acontece que um dia destes apetecia-me bacalhau com natas e tinha pouco tempo para o fazer e por isso pensei "porque não?". Só posso dizer que foi um sucesso cá em casa. O mais novo, que repetiu várias vezes, disse "Tens que fazer este prato frequentemente. É bué de bom!" Pronto, parece que se vai fazer bacalhau com natas mais vezes cá em casa! 


Ingredientes:
2 papo secos
1+2 dentes de alho
1 punhado de coentros frescos
1 cebola grande ou 2 pequenas (cerca de 250g)
50g de azeite
500g de bacalhau demolhado e desfiado
400g de batata palha
Bechamel:
1l de leite magro
100g de farinha
50g de manteiga
sal, pimenta moída na hora e noz moscada
200g de natas para culinária light


Preparação bimby:
Coloque no copo 1 dente de alho, o pão (pode ser duro ou não, eu prefiro mais fresco porque fica mais crocante) e os coentros. Rale 15s/7. Retire e reserve.
Coloque no copo o azeite, o restante alho, a cebola e pique 5s/5. Refogue 5m/Varoma/1. Adicione o bacalhau escorrido e programe 5m/varoma/CI. Coloque num pirex, alternadamente, batata e bacalhau e misture com a ajuda de uma espátula. Pré-aqueça o forno a 180º.
Sem lavar o copo, coloque todos os ingredientes do bechamel, exceto as natas e programe 8m/90º/4. No final deste tempo acrescente as natas e programe 2m/90º/4. Deite por cima do preparado e envolva. Espalhe por cima o pão ralado e leve ao forno cerca de 15 minutos ou até alourar.


Preparação tradicional:
Numa picadora triture 1 dente de alho, o pão (pode ser duro ou não, eu prefiro mais fresco porque fica mais crocante) e os coentros. Retire e reserve.
Coloque num tacho o azeite, o restante alho, a cebola picada (ou em meias luas, se preferir) e refogue uns minutos. Adicione o bacalhau escorrido e deixe mais uns minutos ao lume, até o bacalhau estar cozinhado. Coloque num pirex, alternadamente, batata e bacalhau e misture com a ajuda de uma espátula. Pré-aqueça o forno a 180º.
Para o bechamel, coloque a manteiga num tacho, deixe derreter, junte-lhe a farinha e mexa bem. Sempre em lume brando vá acrescentando o leite morno, em fio, mexendo sempre com a vara de arames. Tempere com sal, pimenta e noz-moscada a gosto e deixe cozer em lume brando durante cerca de 6 minutos. No final deste tempo acrescente as natas e deixe cozinhar mais 2/3 minutos.  Deite por cima do preparado e envolva. Espalhe por cima o pão ralado e leve ao forno cerca de 15 minutos ou até alourar.


14 de outubro de 2015

Penne com requeijão

Uma das massas favoritas dos adultos cá de casa. O mais novo tem a mania que não gosta. Há-de aprender a gostar. É fácil de fazer e super saborosa. A receita é do chefe Henrique Sá Pessoa, fica aqui como eu faço.


Ingredientes:
300g de penne
Azeite q.b.
250g de tomate-cereja
meio pacote de espinafres bebé
1 frasco de azeitonas pretas descaroçadas
2/3 dentes de alho
Tomilho
Sal e pimenta
1 requeijão de Seia


Preparação:
Coza a massa em água com sal a ferver, de acordo com o tempo indicado na embalagem.
Corte os tomates-cereja ao meio e lamine o alho. Escorra a massa depois de pronta e coloque-a numa taça. Junte um fio de azeite para não colar e mexa.
Aqueça azeite com os alhos numa frigideira e junte os espinafres, salteie um pouco e junte as azeitonas pretas, acrescente o tomate no final (nós não gostamos do tomate muito cozinhado) e tempere com tomilho. Retire tudo do lume e junte à massa. Envolva tudo. Tempere com sal, azeite e pimenta. Parta o requeijão de Seia com as mãos e junte ao preparado.




16 de agosto de 2015

Serradura

Esta é daquelas sobremesas que toda a gente gosta e sabe fazer, de tão simples que é, mas por vezes nem me lembro dela. Já estava no arquivo há muito tempo, apesar de cá por casa ter sido substituída, em parte, e a pedido do mais novo, pela mousse de Oreos, é sempre bom tê-la por aqui, para me lembrar que existe.


Ingredientes:
400ml de natas bem frias
1 lata de leite condensado (pode ser light)
1 pacote de bolacha Maria



Preparação:
Pique a bolacha a gosto,pode ficar mais ou menos triturada. Reserve. Bata as natas com a batedeira até ficarem volumosas e consistentes. Acrescente o leite condensado e misture bem. Numa taça, ou tacinhas, faça camadas de creme e bolacha. Termine com bolacha triturada em menor quantidade. Leve ao frigorífico durante 4/5 horas ou de um dia para o outro.

4 de agosto de 2015

Quiche de cogumelos e mozarela

Por aqui somos fãs de tartes e quiches, são fáceis de fazer e se se fizer com massa já pronta, são também muito rápidas. Podem-se fazer variações infinitas, ao gosto de cada um. Acompanhadas por uma salada fazem uma refeição completa. Esta foi inspirada numa receita online da Mulher Moderna na Cozinha. O mais novo adorou esta por causa do queijo, ao contrário da de queijo de cabra, por isso vou fazer muitas mais vezes. Não fiz na Bimby, mas o recheio é facilmente adaptável à bimby. 



Ingredientes:
1 massa folhada de compra (se preferir, quebrada)
Azeite q.b.
2 cebolas não muito grandes
1 alho francês
250g de cogumelos frescos
100g de bacon aos quadrados
4 ovos
2dl de natas light
2 queijos mozarela de búfala 
sal, mistura de pimentas e orégãos q.b.




Preparação:
Estenda a massa folhada e forre com ela uma tarteira aproveitando o papel vegetal e pique o fundo com um garfo. Corte as cebolas às meias luas fininhas (eu uso um cortador de legumes ou mandolina) e leve a refogar com o azeite. Adicione o alho-francês cortado em rodelas finas e os cogumelos cortados em quartos. Acrescente o bacon em cubos. Tempere com sal, a pimenta moída na hora, orégãos e salteie. Retire do lume e coloque na tarteira.
Bata os ovos juntamente com as natas, tempere com sal e pimenta e deite sobre a mistura de cogumelos. Coloque o queijo cortado em rodelas por cima. Polvilhe com orégãos. Leve ao forno aquecido a 200º e deixe cozinhar durante 25 minutos. Acompanhe com uma salada.



2 de agosto de 2015

Delícia de maracujá com queijo-creme

Esta sobremesa, da revista Robot de Cozinha de fevereiro, assemelha-se muito ao creme de cheesecake. Portanto, é ótima para quem adora sobremesas com queijo-creme. Coloquei no congelador depois de a fazer (fiz de manhã para comer ao almoço) e comer esta sobremesa geladinha num dia de calor soube divinamente.


Ingredientes:
1 lata de polpa de maracujá
150g de açúcar (no original 200g)
5 folhas de gelatina (no original 8)
400g de natas frias
400g de queijo-creme
150g de palitos de champanhe
Leite q.b 


Preparação bimby:
Coloque as folhas de gelatina a demolhar numa taça com água. Deite 350g de polpa de maracujá na bimby, junte o açúcar e programe 5m/Varoma. Escorra as folhas de gelatina e adicione-as ao copo pela tampa quando estiver quase a terminar. Retire e deite numa tijela para arrefecer um pouco.
Lave e limpe o copo, deixe-o arrefecer e coloque a borboleta. Junte as natas  e bata 2,30m/4. Acrescente o queijo-creme e misture 20s/4. Deite pelo copo a mistura de maracuja e envolva na vel. 3 durante 20s.
Numa taça funda disponha alternadamente o creme de maracujá e os palitos de champanhe passados em leite. Leve ao frio para solidificar e até servir. Sirva decorado com a restante polpa de maracujá.


Preparação tradicional:
Coloque as folhas de gelatina a demolhar numa taça com água. Deite 350g de polpa de maracujá num tachinho, junte o açúcar e leve ao lume durante cerca de 5 minutos mexendo sempre. Escorra as folhas de gelatina e adicione-as ao maracujá mexendo até derreter a gelatina. Retire e deite numa tijela para arrefecer um pouco.
Bata as natas numa taça, no final acrescente o queijo-creme. Adicione o preparado de maracujá e envolva.
Numa taça funda disponha alternadamente o creme de maracujá e os palitos de champanhe passados em leite. Leve ao frio para solidificar e até servir. Sirva decorado com a restante polpa de maracujá.

Arroz de pato com farinheira

Há quem diga que o bom arroz de pato tem que ser assado antes de ser desfiado. Eu não o asso e acho que fica mesmo muito bom. Adoro arroz de pato e, curiosamente, não faço muitas vezes. Desta vez fiz para matar as saudades e ficou maravilhoso. Eu coloco farinheira porque acho que dá mais gosto e porque adoro, só tem que ser de boa qualidade. Quem não gostar pode, perfeitamente, não colocar.



Ingredientes:
1 pato com 2,5 kg
3 canecas de arroz agulha
1 cebola grande
7 cravinhos
1 ou 2 folhas de louro
sal e pimenta q.b.
1 chouriço mouro ou outro chouriço de carne de boa qualidade
1 farinheira


Preparação:
Prepare o pato retirando a gordura e a pele, exceto a das asas e de uma perna, e corte-o em pedaços. Coloque o pato numa panela e cubra com água. Tempere com sal, pimenta, acrescente o louro, a cebola com os cravinhos espetados e o chouriço. Quando a água estiver a ferver coza a farinheira, com um palito espetado em cada uma das pontas (para a farinheira não rebentar), durante 10 minutos. Retire e reserve. Deixe o pato cozer durante cerca de 50 minutos ou até a carne se soltar dos ossos. Retire o pato, reservando o caldo da cozedura, deixe arrefecer e desfie a carne. Corte os enchidos às rodelas e reserve. Coe 5 canecas do caldo da cozedura do pato, coloque num tacho, acrescente mais 1 caneca de água e leve ao lume. Acrescente à água alguma carne desfiada e algumas rodelas de chouriço e de farinheira, reservando as restantes. Quando a água estiver a ferver acrescente o arroz, retifique os temperos e deixe cozer por 10 minutos. Coloque uma parte do arroz num tabuleiro, espalhe o pato desfiado por cima e cubra com o restante arroz. Alise e espalhe em cima as rodelas de chouriço e farinheira reservadas. Leve a forno aquecido a 200º durante 10 a 15 minutos. 


Farinheira já cozida


Baguete recheada com patê de fiambre

Muito mais fácil de preparar do que o Pão alentejano recheado com patê de chouriço, mas igualmente bom para um almoço com amigos, esta foi a minha escolha para uma dessas ocasiões. A receita original falava em apenas uma baguete das compridas mas nós fizemos uma e meia e o recheio dava à vontade para outra metade, que já não tínhamos. Pode-se fazer e congelar metade, por exemplo, que depois é só levar ao forno. Receita da revista Robot de Cozinha de junho, com alterações.



Ingredientes:
2 baguetes grandes
2 dentes de alho
200g de fiambre
200g de queijo ralado à escolha (mozarela, flamengo, emental...)
Salsa q.b.
250g de maionaise



Preparação bimby:
Corte as baguetes a meio, corte as extremidades e retire parte do miolo, por exemplo, com a ajuda de um cabo de uma colher de pau. Coloque na bimby os dentes de alho, o queijo, o fiambre e a salsa e ligue 15s/6. Passe a espátula para baixar o que ficou nas paredes da bimby, junte a maionese e ligue 20s/6. Recheie o interior das baguetes, com a ajuda de um saco de pasteleiro. Tape as pontas com papel de alumínio, para o recheio não sair, e leve num tabuleiro ao forno aquecido a 200º até ficar quente e tostada. Retire, corte em fatias e sirva.


Preparação tradicional:
Corte as baguetes a meio, corte as extremidades e retire parte do miolo, por exemplo, com a ajuda de um cabo de uma colher de pau. Pique os dentes de alho com o queijo, o fiambre e a salsa até ligar. Junte a maionese e misture bem. Recheie o interior das baguetes, com a ajuda de um saco de pasteleiro. Tape as pontas com papel de alumínio, para o recheio não sair, e leve num tabuleiro ao forno aquecido a 200º até ficar quente e tostada. Retire, corte em fatias e sirva.